0 Flares Filament.io 0 Flares ×

AROMATERAPIA

6 motivos porque uso e amo os óleos essenciais

Jacqueline Guerra, naturóloga, coach de bem-estar & saúde e jornalista

20 de março de 2018

Conheci os óleos essenciais há alguns anos e, logo, tornaram-se um item indispensável na minha vida. Desde então, meu olfato foi conquistado por essas essências puras e não consegui mais usar fragrâncias artificiais em cremes, perfumes ou outros cosméticos.

Passei a estudar a Aromaterapia e a aplicação terapêutica dos óleos essenciais (O.E.) extraídos de plantas (raízes, caules, folhas, flores, cascas, sementes ou frutas).  Eles podem ser usados por meio de inalação em difusores, colares aromáticos, sprays ambientais, banhos, vaporização, ou por meio da aplicação na pele diluídos em óleos vegetais em massagens, compressas, cremes, argilas, xampus e loções.

Na inalação, as moléculas do aroma atravessam o nariz e chegam ao cérebro por meio de uma variedade de receptores, um deles é o sistema límbico, conhecido como nosso ‘cérebro emocional’ e conectado a outras partes que controlam a frequência cardíaca, a pressão arterial, a respiração, a memória, os níveis de estresse e o equilíbrio hormonal. Isso explica porque o aroma dos óleos essenciais pode gerar emoções e proporcionar alguns efeitos fisiológicos e psicológicos profundos.

Os óleos essenciais foram considerados pelos alquimistas como a quinta essência, a alma da planta e atuam também no campo sutil. Do ponto de vista energético, as moléculas dos óleos carregam a energia vital ou prana das plantas, assim como todo o conjunto de suas características, forças e propriedades medicinais.

Na visão da Antroposofia, os óleos essenciais são produzidos pela atividade solar. São manifestações das forças cósmicas do fogo, produzidos pelo “Eu Cósmico” da planta, por isso indicados para o corpo astral.

Na consulta de Naturologia, a Aromaterapia pode ser integrada a outras técnicas e práticas terapêuticas como a massagem, a hidroterapia e a aromapuntura (aplicação de óleos essenciais nos pontos de acupuntura). A Aromaterapia compõe a Medicina Botânica, junto com a Fitoterapia e a Terapia Floral. Todas podem atuar em sinergia com outras terapêuticas no tratamento de Naturologia para potencializar um efeito específico desejado.

A seguir, conto um pouco sobre as múltiplas utilidades dos óleos essenciais e porque uso e recomendo:

1 – Conexão interior

A inalação dos óleos essenciais propicia momentos de conexão interior. Para meditar, por exemplo, uso Olíbano, um dos óleos considerados ‘sagrados’ desde os tempos antigos. Utilizado em cerimônias religiosas, ele promove estados meditativos, oferece suporte para o desenvolvimento emocional e espiritual, aprofunda e acalma a respiração e a mente inquieta, alivia ansiedade, insônia e irritabilidade e atua no sistema imunológico.

A Lavanda, um dos óleos mais conhecidos, também é ideal para essa conexão interior, pois auxilia a trazer a consciência do próprio potencial, a contatar o que há de melhor em si como base de autoestima e autoconfiança, a resgatar o ânimo e acessar a força e o dínamo interno, entre outros benefícios.

Outros óleos que propiciam a meditação são: o Sândalo, pois alinha os chakras e estimula as glândulas pituitária e pineal, o Cedro, que aumenta a concentração e fortalece a conexão com o divino, o Cipreste, que oferece força e proteção energética; e o Benjoim, óleo da iluminação e proteção espiritual.

2 – Emoções e o humor

Para despertar e elevar a disposição, os óleos essenciais de Alecrim, Laranja, Hortelã e Limão Siciliano trazem efeitos estimulantes e funcionam como tônico geral, clareando a mente e resgatando a força vital.

Já para relaxar e acalmar a ansiedade, Lavanda, Sálvia Esclareia, Manjerona, Vetiver, Camomila, Neróli e Ylang Ylang promovem ação sedativa no sistema nervoso central e estabilizam as emoções.

A Bergamota é um dos óleos com um potente efeito antidepressivo e promove alívio do estresse, assim como a Mandarina, que ajuda a elevar o pensamento eliminando a negatividade e trazendo o resgate da criança interior.

A Camomila é ideal para pessoas que vivem em ebulição interna, com oscilações de humor. Descongestiona a mente perturbada e os pensamentos confusos e agitados.

Um escalda pés com uma sinergia com alguns desses óleos diluídos em óleo vegetal pode ajudar a ter uma boa noite de sono, por exemplo.

 

3 – Uso terapêutico

Os óleos essenciais podem ser considerados um bom “kit de primeiros socorros” da medicina natural. Por exemplo: Hortelã pode ser usado para dor de cabeça e náuseas; Lavanda para queimaduras, picadas e ferimentos;  Gengibre para dores musculares, artrite e efeito analgésico; Cardamomo e Erva Doce para melhorar a digestão e aliviar náuseas, Eucalipto para gripe, tosse, sinusite e problemas respiratórios, Camomila para psoríase e inflamações na pele, Citronela como repelente, Sálvia Esclareia e Cipreste para cólica menstrual.

Esses são alguns dos diversos óleos para diferentes finalidades.

 

5 – Foco

Os óleos essenciais também podem ser bons aliados para estudar. O sentido do olfato tem forte conexão com importantes partes do cérebro como: cognição, concentração, aprendizado e memória.

O Alecrim é usado para estafa mental, apatia, falta de concentração, letargia e fadiga. É o óleo da memória recente e passada e revigora a mente e o corpo.

O Limão Siciliano ativa o sistema nervoso parassimpático, traz ânimo e clareza de pensamento, estimula a mente, o direcionamento de metas e o propósito pessoal, a concentração e ilumina nas dúvidas, é purificador e refrescante. Costumo utilizar em um spray com álcool de cereais e com o floral de Bach Clematis, que promove a conexão com o presente.

O Junípero limpa o velho e abre espaço para o novo. Indicado para promover o arejamento dos pensamentos complexos. Traz purificação, limpeza, elevação e clareza. Ajuda a dissipar e a eliminar influências negativas. Pode ser usado em um spray com o floral de Bach White Chestnut, que também acalma os pensamentos agitados.

 

6 – Cosméticos naturais

Sabonete, perfume, desodorante, sais de banho, hidratante labial, facial e corporal são alguns dos cosméticos que aprendi a fazer utilizando os óleos essenciais e outras matérias primas naturais como hidrolatos, argilas, manteiga de karitê, manteiga de cupuaçu, manteiga de murumuru, óleo de palma e outros óleos vegetais.

Os óleos essenciais não devem ser usados diretamente na pele sem a devida diluição. Os óleos vegetais são carreadores para a diluição dos óleos essenciais, contêm vitaminas, lipídios, aminoácidos, ácidos graxos insaturados e sais minerais e são as melhores opções para hidratar e nutrir a pele e os cabelos sem toxinas, petrolatos e parabenos.

Alguns dos óleos vegetais são: semente de uva, gergelim, coco, amêndoas, jojoba, gérmen de trigo, abacate, andiroba, girassol, rosa mosqueta, calêndula, entre outros.

São absorvidos nas camadas mais profundas da pele e podem ter propriedades: emoliente, antisséptico, regenerador do tecido cutâneo, cicatrizante,  anti-inflamatória, calmante, germicida, antioxidante, circulatórias e estimulantes linfáticas.

O uso do óleo de Rosa Mosqueta associado à acupuntura local pode trazer bons resultados na atenuação de cicatrizes, por exemplo. Um blend com Camomila, Lavanda e Tea three também pode ser um tratamento tópico para a psoríase associado com outras terapias para melhorar o sistema imune e a terapia floral para as causas emocionais.

A pele interage com o sistema imunológico, linfático, musculo-esquelético e sua estrutura contribui para a remoção de resíduos de toxinas por meio da transpiração. Portanto, a escolha dos produtos de higiene está diretamente ligada à nossa saúde.

 

A História dos Cosméticos

Comecei a me interessar por cosméticos naturais quando assisti ao documentário A História dos Cosméticos e vi como alternativa aos produtos industrializados cheios de derivados do petróleo, conservantes e metais pesados. Além disso, há o impacto ambiental e o sofrimento animal, já que muitas das conhecidas marcas testam seus produtos em animais.

Assista abaixo ao documentário para entender melhor a importância da conscientização sobre a escolha de cosméticos e produtos de higiene.

O aromaterapeuta ou o naturólogo podem orientar e indicar as melhores opções do uso da Aromaterapia como tratamento.