0 Flares Filament.io 0 Flares ×

FITOTERAPIA

10 plantas adaptógenas para a saúde da mulher

JACQUELINE GUERRA
Naturóloga, coach e jornalista

Na Naturologia, a Fitoterapia é uma das práticas integrativas e complementares aplicadas no tratamento, assim como outras terapias naturais podem auxiliar no gerenciamento do estresse.

Os adaptógenos são uma classe de plantas que ajudam a equilibrar, restaurar, proteger o corpo e a lidar com o impacto na resposta ao estresse, modulando o sistema imune. Atuam no eixo HPA (hipotálamo – pituitária – adrenal) e estimulam o equilíbrio do sistema endócrino e a produção dos hormônios, mensageiros químicos que afetam quase todas as nossas funções corporais.

O estresse crônico, durante longos períodos de tempo, eleva os níveis de cortisol em nosso organismo e pode afetar nosso sistema fisiológico, incluindo a tireóide e a glândula adrenal. O cortisol também é conhecido como o hormônio do envelhecimento. E isso é um enorme fator que contribui para desequilíbrios hormonais, inflamação crônica, irritabilidade, alterações de humor e ganho de peso inexplicável.

As plantas adaptógenas têm sido usadas para aumentar a fertilidade, a resistência, o suporte imunológico e a longevidade na Medicina Chinesa, na Ayruveda e em outras medicinas tradicionais por muito tempo.

Elas se adaptam às necessidades do seu corpo – aumentando os hormônios que você pode estar produzindo menos ou diminuindo os altos níveis de hormônios que poderiam contribuir para um desequilíbrio. Por meio desse mecanismo calmante, estimulante e nutritivo, esses adaptógenos equilibram os hormônios femininos e melhoram a saúde e a fertilidade.

Devem ser indicadas por profissionais habilitados como fitoterapeutas e naturólogos, pois podem interagir com medicamentos prescritos e não são recomendadas para pessoas com certas condições, como na gravidez, período de lactação e outras situações. Elas podem ser recomendadas de modo personalizado de acordo com a constituição de cada pessoa, e não somente de acordo com os sintomas.

Encontrar as causas do estresse crônico e promover mudanças no estilo de vida que proporcionem uma boa alimentação, descanso, atividade física adequada e a adoção de um ritmo de acordo com cada biotipo também são as orientações propostas em uma consulta de Naturologia. Não adianta suplementar se não houver uma alimentação saudável, por exemplo.

Escolhi 10 ervas  adaptogênicas que são favoráveis para a saúde da mulher e equilíbrio do ciclo feminino:

1 –  Ashwagandha (Withania somnifera)

Melhora a função da tireóide, alivia a fadiga adrenal, combate estresse e ansiedade, melhora a depressão, equilibra os níveis de açúcar no sangue, ajuda a combater o câncer devido a suas propriedades antioxidantes, reduz a regeneração das células cerebrais e melhora a memória, aumenta a função imunológica, a resistência e a força muscular, melhora a função sexual e a fertilidade. É suave, não estimulante, pode ajudar a melhorar o sono e reduzir a dor articular crônica. Auxilia a reduzir o sangramento pesado durante a menstruação e, em alguns casos, pode ser capaz de eliminar miomas uterinos com o uso a longo prazo.

2 – Rodhiola (Rodhiola rosea)

Promove o aumento de energia, restaura a função da glândula adrenal, acalma o sistema nervoso, melhora a função cognitiva (memória e concentração), tem ação cardio-protetora, desenvolve o vigor sexual / libido, tem propriedades antioxidantes / anti-cancerígenas, alivia sintomas de alergia e melhora o sono. Além de ajudar a equilibrar o açúcar no sangue, combater a fadiga, reduzir o estresse e nutrir o sistema imunológico, a Rhodiola é especialmente conhecida por sua eficácia no alívio da ansiedade.

3 – Vitex (Vitex agnus castus)

A indicação básica para esta erva é tratar a deficiência de progesterona, ou ainda o excesso de estrogênio. Acredita-se queo Vitex trabalhe suprimindo a liberação do hormônio prolactina da glândula pituitária. Tem efeito sedativo e antiespasmódico, trata os sintomas da TPM, incluindo depressão e irritabilidade, inchaço, sensibilidade nos seios e acne e ajuda a regular os ciclos menstruais.  Também trata os sintomas da menopausa, como ressecamento vaginal, problemas de sono e ondas de calor.  O Vitex tem sido utilizado para a saúde do sistema reprodutor feminino, ausência de menstruação e certos tipos de infertilidade.

4 – Ginseng

As espécies de Ginseng – Asiático Branco, Asiático Vermelho e Americano Branco – pertencem ao gênero Panax, que significa “tudo cura”. O Ginseng estimula o sistema imunológico e aumenta a energia total. Promove vitalidade e aumenta a resistência ao estresse e ao envelhecimento. Também melhora o humor, a concentração e age como um inibidor natural do apetite.

5 – Dong Quai (Angelica Sinensis)

Dong quai, a “rainha das ervas” chinesa, também tem o apelido de “ginseng feminino”. É usada para tratar desequilíbrios hormonais femininos como um tônico para o sangue, promovendo a produção de glóbulos vermelhos e a regulação de prostaglandinas, estimulando a circulação de um fluxo mais suave e diminuindo espasmos e cólicas. Também tem efeito levemente sedativo, laxante, diurético e anti anêmico. Também tem propriedade estimulante sobre o útero durante o parto, alivia a constipação e as enxaquecas.

6 – Saw Palmetto (Serenoa repens)

Esta erva adaptogênica pode ajudar a aliviar o estresse e melhorar a função imunológica, mas é particularmente notável por melhorar a função reprodutiva e a libido em homens e mulheres.  Saw Palmetto suporta o sistema endócrino como um todo e sua atividade anti androgênica pode ser particularmente benéfica para as mulheres que sofrem de Síndrome do Ovário Policístico.

7 – Maca Peruana (Lepidium meyenii)

Suporta e equilibra o sistema endócrino, auxiliando as glândulas pituitária, adrenal e tireóide. Pode ser uma alternativa natural à terapia de reposição hormonal (TRH) para mulheres na pós-menopausa precoce, pois estimula a produção de estrogênio, aliviando os sintomas de calores e suores noturnos. Também atua estimulando a libido e a resistência.

8 – Schisandra (Shisandra chinensis)

Outra erva adaptogênica muito usada na medicina chinesa como um equilibrador adrenal. Exerce um efeito benéfico sobre os sistemas nervoso central, simpático, endócrino, imunológico, respiratório, cardiovascular e gastrointestinal. Também atua como tônico sexual.

Possui compostos antioxidantes, o que ajuda a prevenir o envelhecimento, e outros fitonutrientes, como Schizandrin B, que aumenta a produção de glutationa do fígado, fundamental para proteger o corpo de produtos químicos e toxinas. Também estimula a produção de colágeno na pele e mantém o teor de humidade.

9 – Shatavari (Asparagus racemosus)

Esta é uma das ervas adaptogênicas populares no Ayurveda para o equilíbrio hormonal. O Shatavari pode ajudar a aliviar a TPM (síndrome pré-menstrual), aumentar a fertilidade, reduzir o sangramento uterino e aliviar os sintomas da menopausa. Como um afrodisíaco natural, também pode beneficiar quem está com baixa libido.

Tem propriedades nutritiva, calmante, refrescante, lubrificante, diurética, digestiva e antibacteriana. Tem sido usada para aumentar o leite materno, acalmar azia e aftas e para aumentar a fertilidade feminina. Também suaviza e lubrifica os órgãos pélvicos.

10 – Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra)

A raiz de alcaçuz aumenta o cortisol e o estrogênio, e também diminui a testosterona. O último efeito é desejável para o tratamento de alguns casos de síndrome do ovário policístico.  Em alguns estudos, a erva demonstrou reduzir os níveis de testosterona no sangue em mulheres em 50%. O benefício é devido a um ingrediente ativo chamado ácido glicrhetínico, que inibe a 17B-hidroxiesteróide desidrogenase, a enzima responsável pela produção de testosterona no ovário e no folículo piloso. Alcaçuz também ajuda os sintomas de SOP, agindo localmente na pele e cabelo, onde inibe a ação da testosterona em receptores.

 

No artigo Seed Cycling, ciclo das sementes para o equilíbrio hormonal também apresento uma alternativa para a regulação endócrina de forma natural.

Se você quer saber mais como a Naturologia pode te ajudar, clique aqui.